20/09/16

Garotas de Vidro por Laurie Halse Anderson

Sinopse
"Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer.
O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos.
Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir.
Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles."


Autor: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 272
Gênero: Drama
    

Garotas de Vidro é um livro um pouco antigo, foi lançado em 2012 pela Novo Conceito no Brasil, mas aborda temas super interessantes e voltado para um público jovem. Por isso, a resenha de hoje é dele, um livro muito sensível e altamente necessário.

Neste livros seguimos a Lia, ela está no ensino médio, e tem tudo para ter uma vida normal. Ma infelizmente as coisas estão conturbadas.
Sua amiga Cassie acabou de cometer suicídio e Lia descobriu que a amiga ligou para ela 33 vezes antes de cometer o ato.

A amizade com Cassie vem de um longo tempo, as duas se conhecem desde a infância e sempre estavam juntas. Mas não era exatamente uma amizade saudável.
As duas sofriam de distúrbios alimentares e ver Cassie morta confunde muito a cabeça de Lia, que agora precisa aprender a seguir em frente não se identificando no seu corpo e sem a amiga, que implorou ajuda para ela quando ela não estava ali.

Estamos no Setembro Amarelo e foi por esse motivo que quis trazer uma resenha desse livro, ele trata de suicídio de uma maneira muito interessante sob a perspectiva dos distúrbios alimentares.

O livro é narrado pela Lia em primeira pessoa. A narrativa é de certa forma muito fluida e rápida de ler, porém é muito angustiante estar na cabeça dela. Assim como de qualquer pessoa que esteja passando por problemas assim. 


fonte: GG
Este foi um livro que me surpreendeu muito, lembro que vi ele na Saraiva ha uns 2 anos e relutei em comprar pois achava a capa muito estranha mas ai quando li mais sobre ele no começo desse ano fiquei mais interessado pois distúrbios alimentares é um assunto que estou sempre procurando estudar. Ainda mais na perspectiva de um adolescente.

"Eu sabia como machucava ser filha de pessoas que não conseguem te enxergar, nem se você estivesse na frente deles, pisando nos seus pés."

O que me intrigou nessa leitura foi a quantidade de camadas que a autora coloca para a personagem, sente-se muito que ela realmente existe, que pula das páginas.

A Lia está passando por um luto muito duro por ser de uma amiga dela que tinha o mesmo problema que ela, por ser suicídio. Por fazer ela ver que as pessoas podem morrer realmente em casos assim.

Ela também precisa enfrentar ter pais separados e super protetores, além da escola onde todos só falam na Cassie.

Apesar de ter gostado muito da leitura, algo me irritou muito. 
Bom, como aconselhado em casos assim, todo paciente precisa passar por acompanhamento psicológico, é o que a Lia faz. Forçada, mas faz.
Entretanto, a autora erra extremamente ao colocar a paciente, no caso, como inimiga da terapeuta. Ainda mais em um um livro voltado para um publico mais novo. Isso me incomodou muito pois a autora poderia ter desenvolvido de uma maneira muito mais interessante, mas ela foge para um esteriótipo muito incoerente. 

Nos agradecimentos ela até agradece a uma Psiquiatra por ter ajudado-a nesse lado, mas não consigo entender como já que ela coloca a Psicóloga como um bicho de sete cabeças e super estereotipada quando não é assim. 

De forma geral, Garotas de Vidro é um livro ousado e forte, muito forte. Mas muito necessário para quem conhece pouco do assunto ou que quer entender mais como funciona esse tipo de caso.


11/09/16

#SetembroAmarelo


Ontem, dia 10 de setembro, foi o dia mundial de conscientização de prevenção ao suicídio.
O tema ainda é polemico e apesar de afetar milhões de pessoas no mundo todo, é pouco discutido. A ideia desse mês amarelo é poder trazer discussões e debates sobre o tema e lembrar que existe ajuda esperando quem precisa.

É estranho o quanto os efeitos são silenciosos, mas eles existem, e quanto mais a população toma conta deles mais podemos chegar a um patamar onde casos assim sejam raros. O que não acontece hoje em dia.

Já parou pra pensar que 32 pessoas se suicidam no Brasil diariamente? 32 pessoas. Todos os dias.
Por que?. Por que saúde mental ainda é subestimada e por que não investimos na prevenção de casos como esse?


Ação de prevenção em Curitiba - PR
Ta ai algo para o governo pensar e trabalhar. Mas enquanto isso, faça sua parte. Se informe, leia sobre o assunto, saiba quais são os sintomas. Saiba o que você pode fazer para ajudar alguém.

Recomendo muito a leitura de Os 13 Porquês exatamente por isso, ele mostra, sem ser didático, quais são os sintomas, e o que fazer.

E quem está passando por algo assim, saiba que existe ajuda, existe um lugar seguro para conversar e pessoas dispostas a ajudar. 


Onde buscar ajuda?
Profissionais de saúde mental, como Psicólogos, Psicanalistas e Psiquiatras.

Instituições especializadas, que oferecem apoio, acolhimento e orientação, como o CVV: Centro de Valorização da Vida. http://www.cvv.org.br/ - ou disque 141

O mais importante é: se eduque! conheça o assunto e leve com seriadade a vida de outra pessoa, mostrando apoio e incentivo, o que ajuda muito no processo.

:)

08/09/16

A Geografia de Nós Dois por Jennifer E. Smith

Sinopse
"Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram - presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em A Geografia de Nós Dois, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade."








Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 272 
Gênero: Romance
    

A Geografia de Nós Dois é o mais novo lançamento da Jennifer E. Smith pela Galera Record no Brasil, esse é seu terceiro romance a sair por aqui e mais um daqueles livros que fazem o coração aquecer um pouco mais.

Aqui temos a Lucy e o Owen, eles se conhecem dentro de um elevador em um dia atipicamente quente de Nova York. Acontece um apagão na cidade toda e eles ficam presos no elevador. É então que eles vão se conhecer melhor, a Lucy mora em Nova York há bastante tempo e o Owen acabou de se mudar com seu pai.
Conhecendo se melhor e criando um laço forte entre si, os dois acabam separados geograficamente pelo destino...

A descrição ai em cima do livro é um pouco vaga mas o livro é tão curto que não posso entregar tudo. Afinal, essa autora foca bastante em pontos cruciais e é a melhor parte da leitura apreciar eles.

Mais um livro da Jennifer e mais uma surpresa positiva. Quando li A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista, senti uma grande afeição com a escrita e a forma de criar enredo dela, estava bem ansioso para ler esse e foi ótimo ler mais um livro com uma boa narrativa como esse.



Essa capa sugere uma bom livro de romance, mas não gosto de pensar muito dessa maneira, a autora foca mais nos personagens individualmente e são eles quem fazem o livro. A forma como eles veem o mundo, seus sonhos, suas metas e o que eles estão fazendo para chegar lá.

O enredo pra mim não teve muitas surpresas, de alguma forma já predizia as escolhas da autora e tudo mais, mas isso não me incomodou muito, queria mais saber como ela faria do que o que ela faria.

A família também é um grande papel no enredo, adorei ver isso pois na maioria das vezes os autores colocam eles mais por obrigação e não o exploram muito.

Viajar pela leitura é fácil com esse livro, as locações que a autora escolhe são muito boas e é ótimo estar ali com o personagem. Só não gostei do fato de se passar tudo muito rápido, acho que poderia ter explorado mais esse aspecto.

A Geografia de Nós Dois é um YA diferente, mas sem ser estranho. Tem lá suas previsibilidades mas se mostra uma leitura fluida, carismática e doce de se acompanhar.

05/09/16

George por Alex Gino

Sinopse
"Quando as pessoas olham para George, acham que veem um menino. Mas ela sabe que não é um menino. Sabe que é menina. George acha que terá que guardar esse segredo para sempre: ser uma menina presa em um corpo de menino. Até que sua professora anuncia que a turma irá encenar “A teia de Charlotte”, e George quer muito ser Charlotte, a aranha e protagonista da peça. Mas a professora diz que ela nem pode tentar o papel porque... é um menino. Com a ajuda de Kelly, sua melhor amiga, George elabora um plano. E depois que executá-lo todos saberão que ela pode ser Charlotte — e entenderão quem ela é de verdade também."






Autor: Alex Gino
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 140
Gênero: Infanto-juvenil
    

George é um infanto juvenil muito peculiar. Aqui acompanharemos George, uma criança que está se descobrindo, em vários sentidos, inclusive, seu gênero.

Desde de que vi algumas pessoas falando sobre esse livro lá fora fiquei extremamente curioso em ler, afinal não é todo dia que se lança um livro sobre a infância de um transgênero.
O tema ainda é tabu, e infelizmente, poucas pessoas conhecem o real significado da palavra e o que significa ser uma pessoa dessa na sociedade.
Por isso, estava bem receoso com a leitura, ainda mais por ser um infanto-juvenil, com como o autor abordaria o tema, como ele falaria etc.

Em George acompanhamos o personagem de mesmo nome. George vive com a mãe e o irmão, tem sua melhor amiga Kelly e é aparentemente uma criança normal. Mas George guarda um segredo. Ele é ela.
É assim que ela se sente, presa em um corpo de um menino. Ela precisa se libertar, e essa é a sua trajetória, se descobrindo quando o que mais quer é interpretar uma aranha em uma peça da escola mas tem medo de dizer em voz alta.

Meus receios foram normais, claro, mas acabei percebendo que o autor sabia muito bem o que estava fazendo.
Ao tocar nesses assuntos, ele aborda tudo da forma mais natural possível, tornando assim os personagens muito reais, problemas que pessoas nessa situação realmente enfrentam.

A manifestação de uma pessoa transgênero acontece cedo mesmo, isso é normal, e o autor usa a forma como toda criança se percebe e se conhece de uma maneira muito verossímil. Ele usa esse elemento mas também não deixa de lado outros, como o quanto George é uma criança normal, e leva uma infância diferente mas como a de todo mundo.


A edição da Galera está ótima, um cuidado especial na tradução, edição bem caprichada e colorida. Sem contar essa capa linda!.

O único porem que posso achar para esse livro talvez seja a falta da história da aranha/Charlotte que a George quer interpretar, é uma historinha que eles leem na aula e seria legal ter ela como um prólogo ou no meio do livro, já que é bem importante pro enredo.

A leitura é muito fluida, a narrativa é bem desenvolvida e rapidamente a leitura acelera. A primeira cena já é bem envolvente e assim que o texto corre mais fica difícil de largar, considero esse um daqueles livros para ser em um dia tranquilamente, levei dois pois tive que dormir haha.

De todo modo, George é uma leitura extremamente educativa e singela. Não é o melhor livro do mundo, mas é inteligente e engraçado e eu recomendo pra todo mundo. 
Se você não conhece o tema e quer aprender um pouco de uma maneira bem rápida e leve, essa leitura é mais do que necessária. Super recomendado.

27/08/16

Sumiço, Mudanças + O Que ando lendo


Oi Pessoas!, tudo bem? uau, faz tempo que não escrevo um post, 2 semanas para ser exato. Isso é estranho.
Bom, pelo título do post da pra perceber que não será nada em específico, e não será. Quero comentar um pouco sobre esse hiatos, o que vem pela frente e o que ando lendo.

Depois de ter fechado parceria com a Galera Record no começo desse ano, fiquei bem animado para postar e atualizar o blog, a editora é uma das minhas favoritas no Brasil e está sendo ótimo trazer resenhas dos livros, novidades, sorteios etc. Depois desse gás, acabei me desanimando de novo. Esse ano comecei a faculdade que sempre quis fazer desde os 14 anos, e quero me dedicar a ela, e isso leva tempo, as leituras ficam mais selecionadas e ai fica difícil trazer conteúdo literário se não estou consumindo literatura. Só estava postando resenhas mas estava sentindo que postar era uma coisa que tinha que fazer, não que queria.

De fato, adoro falar sobre livros, muito, descobri a blogosfera literária quando estava começando a ter a leitura como rotina e ai criei o blog, que foi quando ter um lugar para falar das minhas leituras se tornou oficial.
Mas enjoa.

Vocês se veem fazendo a mesma coisa o resto da vida? falando da mesma coisa sempre? morando no mesmo lugar?
Eu não. E é por isso que quero adaptar o blog para essa nova fase da minha vida, onde não tem só livros. Por isso, a partir de agora vai ter mais posts diferentes, mais coisas que eu quero fazer e que vai ser legal publicar. Talvez o nome do blog mude, talvez. Ao menos o layout vai mudar em breve :).



Sobre as recentes leituras, estou lendo bastante coisa ao mesmo tempo nessa tentativa de sair da ressaca literária/encaixar literatura na rotina.
O primeiro deles é Garotas de Vidro, um livro que é super rápido de ler e que mexe muito com o leitor por tocar em assuntos fortes como suicídio e distúrbios alimentares.
O outro é Fome, o segundo da série Gone, peguei ele na biblioteca ha um tempo, parei, e to voltando a ler.
Pequenas Grandes Mentiras ta sendo uma leitura bem suntuosa, um pouco lenta mas muito interessante, adoro esse gênero e a autora parece ser indispensável.

É isso!, espero que esse novo formato fique como quero e espero trazer mais resenhas na próxima semana.

Um abraço!

15/08/16

Lembrança por Meg Cabot

Sinopse
"Meg Cabot retorna com uma divertida e sexy continuação da saga de Suzannah Simon, a menina que via fantasmas... e os ajudava a passar para a luz Agora, mais velha e experiente, tudo que Suze quer é causar uma boa impressão no primeiro emprego desde sua formatura — e desde o noivado com o Dr. Jesse de Silva, ex-espírito e sua alma gêmea. Como não bastasse, um fantasma de seu passado resolve aparecer. E esse não é um espectro que ela possa mediar. Afinal, Paul Slater está bem vivo, milionário e, ainda por cima, é o novo proprietário da antiga casa de Suzannah. Aquela na qual conheceu Jesse. Isso não seria um problema se ela não tivesse acabado de descobrir que uma antiga maldição poderá transformar seu amado num demônio, caso seu antigo local de descanso seja demolido, como Paul pretende. Agora ela precisa dar um jeito em Paul, que a está chantageando sexualmente — isso mesmo... ou ela dorme com ele, ou perde Jesse —, enquanto tenta ajudar uma caloura assombrada por uma menininha muito poderosa... "


Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 399 
Gênero: Juvenil/Sobrenatural
    (3,5)

Lembrança é o sétimo livro da série A Mediadora da autora Meg Cabot. O livro foi lançado em comemoração aos 15 anos de publicação do primeiro livro e traz os personagens agora mais adultos.

A Mediadora é uma das minhas séries favoritas, não me importo de ser um pouco "bobinha" e clichê como dizem, passei uma semana maravilhosa lendo aqueles livros (sim, um por dia) e estava extremamente ansioso e receoso quando soube do lançamento desse volume.

Esse receio vem por conta de vários motivos, Crepúsculo fecha muito bem a série e talvez ver os personagens mais velhos estragasse toda a experiencia. Felizmente, não foi isso que aconteceu.

Não vou comentar o enredo pois não quero dar spoilers da série, mas o que posso dizer é que depois de 6 anos encontramos a Suzannah mais velha, na faculdade e agora tendo que enfrentar alguns assuntos que ela achou que tinham ficado no passado.

De começo, a narrativa da Meg continua super desenvolvida e acelerada, realmente não parece que se passaram anos desde o ultimo livro pois ela consegue manter o ritmo de escrita e insere o leitor naquele universo como se uma pausa nunca tivesse acontecido.

As primeiras 50 páginas dá uma estranheza mas assim que o texto vai a leitura flui bastante e com a inserção de alguns mistérios e alguns plot twists, fica difícil largar o livro.



Bom, Suzannah. Ah Suzannah, como senti saudades!, seu humor ácido continua ali e sua voz ainda é ouvida. Poreeem, me decepcionei muito com ela. Supostamente, ela está na faculdade, trabalhando na antiga escola que estudava e em um relacionamento sério. O que encontrei foi uma adolescente ainda, com os mesmos trejeitos e opiniões da Suzie dos seis primeiros livros. 1 estrela tirada por isso.

O romance ta ali e ainda muito quente, o casal tem uma química muito boa e a Meg consegue passar isso muito bem pras páginas. 
Como é um livro em que eles estão mais velhos, tem algumas cenas mais picantes e explicitas, algo que por várias vezes me pareceu forcado e estranho, não que as pessoas não façam isso, é que não consegui visualizar a Suzannah como uma adulta e ai ficava muito embaraçoso. Tirei meia estrela por essa questão. 

Ainda assim, revisitar esses personagens e ver o que está acontecendo na vida deles, assim como experimentar a fórmula da Meg Cabot de novo foi uma experiência muito legal e que com certeza valeu a pena.

Pra quem gosta da série e desses personagens, Lembrança é uma leitura mais que recomendada. O sentimento de nostalgia é ótimo e se despedir definitivamente desses personagens foi difícil mas ainda assim necessário :(. Muito bom!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger ©